Sinais que precedem a volta de Cristo
19 de março de 2020
O Poder do Sangue
6 de abril de 2020

A CRISE E A IGREJA

 

Quebra-gelo: Como podemos ser Igreja em tempos de crise? Qual é o nosso papel?

 

Texto: Lucas 21.5-19

 

Introdução  

“Levantar-se-á nação contra nação, reino contra reino; haverá grandes terremotos, epidemias e fome em vários lugares, coisas espantosas e também grandes sinais do céu.” (Lc 21.10-11). Já estamos no princípio das dores? Não sabemos, mas, como Igreja temos de estar preparados para o dia mal. Cremos que o arrebatamento será antes da grande tribulação, porém, até lá precisamos estar firmes e inabaláveis confiando de que Deus está cuidando dos Seus escolhidos. Hoje no Globo Terrestre o vírus do pânico está afetando muito mais que o coronavírus. Diante de tudo isso, qual é o papel da Igreja? Pensando que a Igreja não é o templo de alvenaria, mas nós, os membros do Corpo de Cristo, o que devemos fazer?

 

1 – INTENSIFICAR A NOSSA CONEXÃO COM DEUS – Is 55.6-7

Use o tempo para buscar mais a Deus. O isolamento social não faz bem, e em vista disso é hora de reinventar e trabalhar para superarmos e ajudarmos aos demais. O dia mal vai passar, a crise vai acabar para aqueles que estão conectados com o Espírito Santo. Paulo e Silas estavam isolados na prisão e o chão tremeu, o cárcere se rompeu, porque por volta da meia noite eles estavam orando e cantando louvores a Deus (At 16.25-26). Veja um detalhe, “os demais companheiros de prisão escutavam”. O que as pessoas estão ouvindo de nossos lábios? Vamos intensificar a nossa conexão com o Espírito Santo para vencermos mais essa fase.

 

2 – PROCURAR MANEIRAS DE PODER SERVIR AO PRÓXIMO – Mt 5.16

Servir é uma forte característica da Igreja. Jesus é o nosso maior exemplo de servo.  O serviço é uma linguagem de amor que toda língua entende. Como podemos servir ao próximo? Servir vai desde socorrer um faminto desprovido até um simples cuidado virtual através de uma mensagem de ânimo e esperança a alguém que esteja aflito (Pv 17.17). Que o Senhor te de criatividade e oportunidade para servir. A Igreja primitiva ganhava a simpatia de todo o povo, e enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos (At 2.47). Na crise a Igreja cresce porque é o momento certo de não apenas falar, mas de servir e mostrar Cristo através das nossas ações. Por isso somos uma Igreja que ama e se importa.

 

3 – MANTER-NOS CONECTADOS COM O CORPO – 1Co 12.26-27 – Rm 12.4-5

Você já deve ter ouvido uma frase bem conhecida: “A tecnologia une quem está longe e separa quem está perto”. Só que com sabedoria podemos usar as ferramentas da tecnologia em prol do reino de Deus. A Bíblia diz que não devemos deixar de congregar (Hb 10.25), porém, “As circunstâncias estão nos obrigando a ‘SER’ Igreja, ao invés de ‘IRMOS’ à igreja. Que grande oportunidade o Senhor está nos dando de aprender a viver a nossa essência! A verdadeira Igreja nunca fecha!” (Pr Danilo Figueira). Como Igreja não podemos perder o elo de comunhão com Deus e com os irmãos. Vamos usar os aplicativos Waths, Skype, Zoom e outros para nos reunir mesmo que seja on-line. O isolamento social não justifica o isolamento do Corpo de Cristo.

 

CONCLUSÃO

Diante da crise o nosso papel como Igreja é fortalecer-nos ainda mais em Deus e, servir aos aflitos e salvar os perdidos, termos sempre uma palavra de fé e esperança aos que nos cercam e, embora isolados, estarmos ligados uns aos outros através do Corpo de Cristo.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Igreja de Avivamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *