Uma História de Lealdade – Parte 1

Os Ensinamentos de Paulo – Parte 5
setembro 10, 2018
Os Ensinamentos de Paulo – Parte 6
setembro 16, 2018

Uma História de Lealdade – Parte 1

UMA HISTÓRIA DE LEALDADE – PARTE 1

 

 

 “E sucedeu que, acabando ele de falar com Saul, a alma de Jônatas se ligou com a alma de Davi; e Jônatas o amou, como à sua própria alma. E Saul naquele dia o tomou, e não lhe permitiu que voltasse para casa de seu pai. E Jônatas e Davi fizeram aliança; porque Jônatas o amava como à sua própria alma. E Jônatas se despojou da capa que trazia sobre si, e a deu a Davi, como também as suas vestes, até a sua espada, e o seu arco, e o seu cinto.” (I Samuel 18:1-4)

 

I Samuel 18:1-4 narra a história de lealdade de Jônatas com Davi. Jônatas entendia que seu pai, Saul, era rei, mas que Deus havia ungido e separado Davi para reinar. Jônatas não estava sendo infiel ao seu pai, mas estava sendo leal ao manto. Quando você toma a consciência do que é lealdade, não está sendo infiel com ninguém, você está sendo leal ao manto. Quando você tiver esse entendimento, ninguém nunca mais irá trapacear em sua direção, pois há muitas pessoas que dizem ter fidelidade, mas não entendem lealdade.

Mais vale ficar debaixo do manto leal do que apregoar uma fidelidade que não existe. Se a sua fidelidade depende do estímulo de alguém ou dos favores do outro para que você caminhe com o seu líder, desenvolva-se, cresça e desate, isso tudo é falsário. Mas se você tem lealdade, você tem a bandeira que atrai o Trono, que traz a glória de Deus, que ganha o respeito do Céu. É o Céu que se alegra na sua direção. E é assim que você deve caminhar dentro do Reino.

A Bíblia diz que a alma de Jônatas estava apegada à de Davi. Ele foi fiel e leal àquele a quem elegeu como amigo, mesmo sabendo que herdaria o trono no seu lugar. O que Jônatas fez para provar sua lealdade? Entregou os armamentos de ameaça. Vejamos que armamentos eram esses e quais seus significados:

 

MANTO OU CAPA

Jônatas tira o manto e entrega a Davi. Imagine o que significa um príncipe entregar seu manto, símbolo de autoridade a outro? O manto é um sinal de proteção. Naquele momento, Jônatas estava provando sua lealdade de proteção a Davi sem palavras, mas com uma atitude que dizia que a unção pessoal dele estava submetida a Davi.

Jônatas teve essa sabedoria e foi fiel e leal. E você, a quem você submete a sua unção pessoal? Eu sei que você tem unção, mas há alguém que tem mais unção que você. Nunca você será o mais ungido. Sempre haverá alguém a quem você terá que se submeter. Isso significa que você coloca a sua capa, a sua unção pessoal debaixo da autoridade.

A capa é também um sinal de proteção da mente, conceitos pessoais. Submeter-se é um sinal de proteção, de se autoproteger, submetendo-se à autoridade, ficando debaixo de alguém com responsabilidade no Reino. Entenda que a sua túnica e a sua proteção de mente não são suficientes para ficarem apenas em você. Então, submeta-a a um líder que tenha mais dons, mais inteligência, mais sabedoria, mais talentos para que possa desatá-lo e levá-lo a um nível maior ainda.

 

ESPADA E O ARCO

Jônatas também entregou a espada e o arco a Davi que significavam proteção e defesa. Ficou completamente desprovido de tudo o que poderia aparentar cilada na direção do líder. A espada – arma de defesa – fala que os atos de defesa pessoal estão submetidos, fala ainda do poder da palavra. Então, se você sabe de alguém que tem o poder da palavra, submeta-se para que a glória venha e você possa herdar esse poder também.

 

CINTO

Jônatas pegou o cinto, que representava a provisão, e o deu a Davi. Essa entrega representava submissão a quem poderia gerar provisão. A sua própria submissão não é suficiente para mantê-lo no lugar que Deus tem para você.

O cinto é o sinal de que os meus suprimentos pessoais precisam ser submetidos a quem tem outros suprimentos e pode me desatar. Jesus disse que se alguém quisesse a capa, você deveria entregar também a túnica; se quisessem andar uma milha, você deveria andar duas; se lhe pedissem emprestado, você não deveria negar (Mateus 5:40-42). Com esses conselhos, Jesus ensinou a provar lealdade.

A Bíblia diz que a alma de Jônatas se apegou a Davi para manifestar honra, fidelidade e lealdade. Jônatas não pediu nada a Davi. Na verdade, ele possuía mais que Davi, pois era, em potencial, o herdeiro do trono. Humanamente falando, era para Davi viver atrás de Jônatas, mas Davi tinha a consciência de que onde tem a unção, tem o respaldo. Se isso não estiver resolvido na sua vida, você negociará qualquer coisa.

Jônatas era filho de Saul, o homem mais poderoso de Israel. Davi era filho de Jessé, o pai que o deixou cuidando de ovelhas e limpando o curral. Era para existir uma inversão, Davi correndo atrás de Jônatas para se valer da sua influência. A diferença de Davi para outras pessoas é que desde o dia em que ele foi ungido rei, comportou-se como tal. Se você é chamado para o ministério, comporte-se no nível da chamada que Deus lhe fez. Não negocie isso por nada, seja leal à chamada.

Davi levou aproximadamente 17 anos para ver a chamada consolidada. No entanto, nas atitudes, vivia como rei. Suas atitudes devem sinalizar o homem de Deus, a mulher de Deus, que você é. As suas atitudes constroem caminhos de êxito ou o levam para caminhos de derrota. Você está sendo observado e julgado pelo que fala e faz. Então, entenda o poder da lealdade.

 

A entrega do manto, arco, espada e cinto era o ato de maior confiança que existia para mostrar que não havia restrição na fidelidade nem comprometimento na lealdade. Representava a lealdade de Jônatas a Davi e uma vida completamente sem máscaras. Um líder ‘armado’ não transmite segurança nem é aprovado na sua lealdade. Entregar, expressava que Jônatas não tinha problema de se submeter nem reconhecer a autoridade de Davi. E mais, era a prova da amizade, fidelidade e lealdade dele em relação àquele que seria o herdeiro do trono, Davi, e que se submetia àquele que tinha mais unção, porque sempre haverá alguém maior que nós.

 

 

Fonte: MIR