Ceia do Senhor
maio 4, 2019
Vire a Página da História do Seu Passado
maio 10, 2019

Caminhe pela Verdade

CAMINHE PELA VERDADE

 

 

Texto: “E dizia: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido. Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele. Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos. Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente.” (João 6:65-69)

 

O texto de João 6 mostra que os discípulos, ao serem confrontados, abandonaram Jesus. Essa jamais deve ser sua atitude, porque como disse Pedro: Para quem iremos? Os ensinamentos de Jesus não agradavam a todos e continuam não agradando a todos, principalmente os que são confrontados pelo pecado, mas não querem mudar de vida. Ainda hoje alguns discípulos ficam irados ao ouvirem que precisam mudar para agradar o coração de Deus, e que sua forma de viver é embaraçosa.

A Bíblia diz que muitos se retiraram, pois acharam duro o discurso do Mestre. Ouviram Jesus, receberam a Palavra de Vida, mas O deixaram. Há discípulos que não aceitam ouvir a Palavra de vida. E Jesus, ao perceber aquela situação, disse que sabia que Seu discurso era duro. Podemos lembrar que Ele estava falando a discípulos que já O seguiam há um tempo e que mesmo assim foram embora. Então, não é de surpreender que existam discípulos de Jesus que quando escutam o líder ministrar uma palavra e que julgam ser dura, não consideram a palavra boa por não alimentar a carne e o pecado, antes saem do Reino, abandonam Jesus e o líder que está sobre eles.

 

A postura de Jesus

Jesus, vendo toda aquela situação, olhou para os 12 e perguntou se também iriam embora como os discípulos haviam feito. Mas Pedro, como 12 e não apenas como discípulo, respondeu ao Mestre que ficariam, pois só Ele tinha as palavras de vida eterna. Pedro se comportou como um discípulo que sabia o potencial de liderança que a ele havia sido confiado. A postura de Jesus como Líder foi fantástica, sem meninice, sem agressividade. Ele não ficou desistido pelos que se retiraram, não quis abandonar os que ficaram. Apenas perguntou o que pretendiam fazer. Que ensinamento!

Você está sendo forjado para ser um líder de êxito. Não desista da caminhada, mesmo quando algumas palavras parecerem duras. Esteja aberto a mudar para que a sua vida seja transformada. Quantos têm desistido da caminhada de êxito que Deus tem proposto para eles, por causa de algumas situações. Que essa não seja a sua história! Seu Referencial é Jesus, prossiga com os que ficaram, aguardando os que ainda virão.

 

A postura de Pedro

Pedro era discípulo de Jesus, tinha seus defeitos, como todo ser humano, mas procura ser um discípulo fiel. Através da postura de Pedro, percebemos que há diferença na vida daqueles que decidem ser o que Deus tem para suas vidas. Mesmo como discípulos, podemos ser maduros e equilibrados. Não aceite fazer parte dos discípulos que vão embora, por não ter maturidade, por quererem fugir do confronto e não mudar de vida. Seja um discípulo preparado para o confronto, entendendo que o confronto é para levá-lo a um nível maior.

 

Como devemos nos comportar

Somos 12 de excelência e, como 12, devemos ter a compreensão correta do nosso papel e da nossa postura. Devemos ser modelo “…na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.” (I Timóteo 4:12)

Nosso comportamento deve ser sempre de maturidade. Quando amadurecemos, evitamos chateações diante dos confrontos que precisamos enfrentar. Confrontos são necessários, pois não apenas nos amadurecem, como nos levam a corrigir nossos erros e a não mais cometê-los.

Jesus quer tratar a nossa vida como discípulos e como líderes, quer fazer de nós um 12 maduro. Ele não quer que caminhemos de forma a virar as costas para o líder, indo embora, porque além de não ter maturidade, às vezes, queremos ouvir o que possa alimentar a alma e sustentar o pecado e o erro.

Que sejamos discípulos e líderes que sabem ouvir, obedecer e mudar, caminhando com o nosso líder em maturidade e respeito, jamais se rebelando. Que o confronto para ajuste da alma e do comportamento não seja motivo para abandonar o discipulado.

 

Que cada um saiba receber com mansidão a Palavra, sabendo que “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” (II Timóteo 3:16,17)

 

 

Fonte: MIR