O Mestre e os Discípulos – Parte 1

A Obediência de Jesus
junho 9, 2019
Desafiando Gigantes
junho 16, 2019

O Mestre e os Discípulos – Parte 1

O MESTRE E OS DISCÍPULOS – PARTE 1

 

 

Jesus tinha os Seus 12 e estes passaram a ser homens com os quais o Mestre sabia que podia contar. Não precisamos aprofundar-nos muito no assunto para entender que entre os 12 havia três que sempre estavam mais próximos a Jesus.

 

Pedro

Estudando a vida de cada um deles, observamos que havia sempre um que mais se destacava. Seu temperamento era forte e, às vezes, metia os pés pelas mãos. Ele dizia muita coisa que não deveria dizer e, enquanto não deixou Deus controlar a sua vida para ser um homem tratado, cometeu muitas falhas.

Você pode estar pensando: por que um homem que muitas vezes é precipitado pode ter sido escolhido para estar sempre com Jesus? O que ele tinha? Em primeiro lugar, podemos dizer que ele demonstrava uma característica peculiar: era extremamente alegre e envolvia todos ao seu redor. Pedro era uma pessoa do povo. Sabia agradar, e as multidões tinham um bom referencial sobre ele. Ele sabia fazer pontes. Era pescador; um homem simples e a cultura acadêmica deixava muito a desejar. Por que então era um homem muito próximo de Jesus? Pelos nossos padrões intelectuais, ele tinha tudo para não ser um dos escolhidos.

Pedro, além disso, era um homem atrevido. Enfrentava as coisas; poderíamos até pensar que ele seria um referencial negativo. Se fôssemos escolher, provavelmente eliminaríamos Pedro com receio de que ele levasse o púlpito a um descrédito ou ainda que acabasse com a célula. Mas Deus escolheu Pedro.

Toda equipe precisa de um Pedro, que antes de ser líder, deve ser tratado pelo Espírito de Deus para ser um multiplicador de vidas. Um Pedro que não é tratado faz a coisa de forma errada, como você já deve ter visto. Pedro ajuda a fazer a célula crescer e multiplicar.

Mas, cuidado, porque se você não vigiar, ele pode falar demais, meter os pés pelas mãos, prometer que vai estar com você em determinado horário, mas chegar meia hora depois e por aí vai. Você olha para ele e sabe que ele tem tudo para ser um êxito, mas precisa mudar.

Invista na vida de Pedro como Jesus fez. Um dia Jesus estava na intercessão e Satanás lhe disse que queria a vida de Pedro para peneirá-lo. Mas, Jesus intercedeu por ele. Seja como o Mestre e não coloque seus olhos apenas em Lucas e Paulo, se você proceder assim, correrá o risco de perder pessoas preciosas para Jesus.

 

Tiago e João

Outro discípulo chegado a Jesus foi Tiago. A Bíblia nos fala de quatro discípulos com o nome de Tiago. Porém um dos nomes de Tiago, o discípulo, era Yakov, ou seja, Jacó e nós sabemos que esse nome tem raízes que precisam ser cortadas. Esse Tiago era filho de Zebedeu e irmão de João. Sua mãe era Salomé, listada na Bíblia como uma das mulheres que cooperava com a obra de Jesus através de seus recursos.

Zebedeu e Salomé viviam bem, tinham recursos materiais. Tiago e João cresceram debaixo dessa influência e, dizem alguns historiadores, que Salomé seria irmã de Maria, a mãe de Jesus. Talvez, devido a esses fatores familiares, a mãe deles, e em outra oportunidade, eles mesmos, tenham tido a coragem de ir até Jesus para pedir poder, dizendo para serem colocados um à esquerda e outro à direita. Havia uma relação familiar naquele processo.

 

Tiago e João tinham sede de poder! Mas, a história mostra Tiago, também, como uma pessoa irascível. Ele se irava com facilidade. Um dos nomes que Jesus mesmo o chamou foi de filho do trovão. Uma outra fonte de pesquisas mostra que Tiago era possivelmente do grupo dos zelotes. Os zelotes eram radicais nacionalistas por uma causa. Tiago tinha esse temperamento, esse jeito de ser. Certa vez, ele e João disseram: Senhor, eles não querem te receber em Samaria, dá ordem e nós vamos mandar descer fogo do céu para destruir tudo! Observe o objetivo para o qual eles queriam exercer fé! Mas, Tiago era zeloso, era uma pessoa que estava na equipe de Jesus e sabia muito bem o que queria.

 

Tiago era um nacionalista, ele lutava pela libertação do povo de Israel do jugo romano e também esperava a vinda do Messias, aquele que haveria de vir e libertar o povo. Tiago seguiu Jesus por esses ideais. Ele esperava que Jesus fosse o libertador do reino físico, do reino terreno de Israel. Com o passar do tempo, Jesus foi mostrando a ele que o Seu Reino não era secular, não era terreno.

 

Esse era Tiago! Mas, por que Tiago ocupou, digamos assim, o segundo lugar, no grupo dos que acompanhavam Jesus? Todos nós queremos poder e Deus está querendo tratar essas coisas em nós. Quando Tiago e João pediram o poder a Jesus, este o refutou duramente: ‘Vocês não sabem o que estão pedindo, vocês poderão beber o cálice que Eu bebo?’. Eles mais que depressa responderam que poderiam. Jesus lhes disse: “vocês podem até chegar a isso, mas o assentar-se à Minha esquerda ou à Minha direita, não compete a Mim”.

 

Cada pessoa tem seus méritos. A Bíblia diz que a honra é para quem merece a honra. Quando não honramos os nossos líderes, certamente teremos problemas para liderar. Jesus nos advertiu para que não procuremos os lugares de honra, que não nos sentemos nos primeiros lugares, porque pode chegar algum convidado de maior honra e podemos ser solicitados a deixar aquele lugar para o outro.

 

Continua…

 

 

Fonte: MIR