Isaque – A concretização de um sonho – Parte 1

Um grande pescador
setembro 21, 2019
Atitudes que mudam circunstancias
setembro 25, 2019

Isaque – A concretização de um sonho – Parte 1

ISAQUE – A CONCRETIZAÇÃO DE UM SONHO – PARTE 1

 

 

 “E o SENHOR visitou a Sara, como tinha dito; e fez o SENHOR a Sara como tinha prometido. E concebeu Sara, e deu a Abraão um filho na sua velhice, ao tempo determinado, que Deus lhe tinha falado. E Abraão pôs no filho que lhe nascera, que Sara lhe dera, o nome de Isaque. E Abraão circuncidou o seu filho Isaque, quando era da idade de oito dias, como Deus lhe tinha ordenado. E era Abraão da idade de cem anos, quando lhe nasceu Isaque seu filho. E disse Sara: Deus me tem feito riso; todo aquele que o ouvir se rirá comigo. Disse mais: Quem diria a Abraão que Sara daria de mamar a filhos? Pois lhe dei um filho na sua velhice. E cresceu o menino, e foi desmamado; então Abraão fez um grande banquete no dia em que Isaque foi desmamado.” (Gênesis 21:1-8)

 

Isaque foi a concretização do sonho de Abraão, o filho da alegria. E um dia, quando Abraão estava muito cheio de alegria, Deus veio e pediu Isaque em sacrifício. “E aconteceu depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi.” (Gênesis 22:1,2)

Deus estava provando Abraão e ensinando a ele que os filhos não são nossos, são do Senhor e precisam estar no Altar do sacrifício dEle. Na verdade, precisamos ter a consciência de que tudo é de Deus, inclusive os filhos são dEle, pertencem a Ele. Deus está nos ensinando e nos alertando que só teremos êxito em tudo o que fizermos se tivermos o coração no Reino, por isso é importante caminharmos pelas pisadas do Mestre.

Abraão teve seus erros na jornada. Ele não se desvencilhou de Ló, seu sobrinho, de forma fácil. Também não foi fácil para ele deixar Ismael sair do seu arraial. Aprendemos com a vida desse grande patriarca, que podemos ter o desejo de gerar Isaque, nos alegrar com o milagre, mas não podemos tê-lo como posse, como propriedade exclusiva.

 

Isaque é o cumprimento da promessa, e a nós, cabe a honra de cuidar dele para Deus. Cuidamos dos nossos filhos para Deus, isso tanto no âmbito físico – filhos biológicos, quanto no âmbito espiritual – os filhos que se tornam discípulos.

 

Discipulado é responsabilidade e os discípulos são de Deus. Quantas vezes encontramos líderes que enchem a boca para falar sobre a quantidade de discípulos que têm; e o fazem com soberba. Estes ainda não aprenderam que precisam se tornar, para os discípulos, uma espécie de Abraão – Pai da fé. Estão mais para Faraó, querendo construir pirâmides para exaltar o próprio nome, para serem ilustres na Terra. É preciso tomar muito cuidado, arrancar essa tirania do coração e entender que os filhos espirituais são filhos de Deus.

 

Portanto, muito cuidado com companhias inadequadas, pois elas sempre promovem resultados de confusão e podem levar o líder e os que estão ao seu redor para o deserto. Na própria vida do patriarca da fé vemos esse exemplo, é só analisarmos como os pastores de Ló faziam contendas com os pastores de Abraão.

 

Acredite, assim como existem líderes que são como Faraó, também existem discípulos, que são como Ló e os seus pastores. A verdade é que tanto líderes, quanto os discípulos devem ser tratados diante de características que mostrem deformidades no caráter.

 

Abraão X Eliezer – A recompensa de uma companhia correta

Eliezer, na vida de Abraão, pode ser considerado como a recompensa de uma companhia correta. “E era Abraão já velho e adiantado em idade, e o SENHOR havia abençoado a Abraão em tudo. E disse Abraão ao seu servo, o mais velho da casa, que tinha o governo sobre tudo o que possuía: Põe agora a tua mão debaixo da minha coxa, para que eu te faça jurar pelo Senhor Deus dos céus e Deus da terra, que não tomarás para meu filho mulher das filhas dos cananeus, no meio dos quais eu habito. Mas que irás à minha terra e à minha parentela, e dali tomarás mulher para meu filho Isaque.” (Gênesis 24:1-4)

Quando Deus aparece a Abraão (Gênesis 15), ele responde a Deus de uma maneira um tanto malcriada, perguntando o que o Senhor lhe daria, se um filho, que era o mais importante, ele não tinha. Disse a Deus que o seu servo, o damasceno Eliézer, era o seu herdeiro.

Como Abraão, muitas vezes os nossos interesses estão acima da manifestação de Deus a nós. O Senhor olhou para Abraão e mandou que ele saísse da sua tenda, da sua confusão de mente, dos seus problemas, e olhasse para as estrelas do céu. O Senhor lhe falou que sua descendência seria numerosa como as estrelas do céu.

Deve ter sido difícil para Abraão, mas a Bíblia diz que ele creu na promessa de Deus, foi restituído e isso lhe foi imputado por justiça. Aprendemos que é preciso tomar cuidado com as nossas obstinações, pois elas nos fazem ter um comportamento inadequado diante de uma manifestação de Deus. Devemos estar atentos e perceptíveis ao que o Espírito está fazendo e como Deus está nos conduzindo para termos uma geração como as estrelas do céu.

 

É necessário crer que o Senhor está cuidando de você a cada passo e que você chegará a multidões como estrelas, pois ele colocou esse sonho em seu coração. Agora, o que fazer durante o processo? Acalmar o coração, estar com o coração aberto para que o Espírito nos ministre e conduza-nos, sempre atentos às revelações e dicas dadas para alcançarmos o resultado do coração do Pai.

 

Continua…

 

 

 

Fonte: MIR